home    
soluções
     
 
 GUARDO PROTEÇÃO MÁXIMA EM SEGURANÇA ELETRÔNICA
 
 
  Soluções em Sistemas de Segurança Eletrônica
 
   
 Projetos de CFTV/Câmeras
 Projetos Especiais
 Segurança Perimetral
 Monitoramento de Alarme
 Outros Servišos
 
  • Análise de Risco
  • Segurança Portaria
  • Controle de Acesso
  Câmeras IP
  • Tecnologia da Informação
   
   
 

Câmeras IP

Esses equipamentos são uma grande inovação no mercado tecnológico, através de um sistema de vigilância remota via internet, utilizam tecnologia IP para acesso as imagens.

Em uma estrutura de rede bem planejada, é possível disponibilizar ao cliente imagens do local monitorado em tempo real 24 horas por dia.

Câmeras IP permitem vigiar a casa pela Internet; veja como funciona:

Imagine dar uma espiadinha no que acontece em sua casa de qualquer lugar do mundo, evitar um assalto mesmo longe de casa ou então descobrir como exatamente seu animal de estimação conseguiu derrubar aquele vaso.
Na Alemanha, um empresário viu por câmeras conectadas à Internet que sua casa no Guarujá estava sendo invadida e avisou a polícia a tempo de prender o criminoso.

O empresário estava na cidade alemã de Colônia e recebeu um alerta em seu celular vindo da casa litorânea, no outro lado do Atlântico.

Com um computador, acesso à Internet e câmeras IP já é possível fazer tudo isso. E por um preço nem tão assustador, se comparado aos porteiros eletrônicos com vídeo que muitas casas possuem hoje em dia.

As câmeras IP são equipamentos que transmitem áudio e vídeo para um computador ou diretamente para a Internet. Com a ajuda de softwares que as acompanham, é possível ver na tela diversas imagens ao vivo e simultaneamente, ou ser avisado por e-mail caso esses "olhos-mágicos digitais" detectem algum movimento fora do normal.

Com a redução dos preços e a tecnologia da Internet, o monitoramento remoto deixou de ser privilégio de grandes empresas. As câmeras IP permitem que a família possa ver o recém-nascido ainda no berçário da maternidade sem ter de ir até lá. Podem ajudar a saber as condições climáticas de um heliporto para orientar pousos. Ou ainda acompanhar a reforma da casa direto do escritório — e poder dar uma bronca no mestre-de-obras pelo telefone.

"Basicamente são dois tipos de clientes: aquele que utiliza uma única câmera para monitorar um local específico, como um escritório, um caixa de supermercado ou uma residência, e o que faz a vigilância completa de grandes empresas".

A popularização também está relacionada à facilidade de instalação das câmeras. "Se você consegue instalar seu computador, seu Windows e sua Internet, você consegue instalar uma câmera IP". "O conhecimento básico necessário é similar ao de conectar um cabo de rede e como configurar o acesso à Web."

Com a câmera nas mãos, a instalação é relativamente simples. Você precisa de um computador com acesso à Internet e uma conexão a cabo ou wireless — basta que a câmera IP seja ligada à placa de rede, hub ou roteador.

A partir desse momento, ela vai ganhar um endereço IP exclusivo, que vai ser sua identificação, como a de um computador em uma rede. O endereço IP é um número que identifica um computador ou outros tipos de hardware conectados à Internet. Todo endereço de website é na verdade um "nome fantasia" que aponta para um endereço IP de um servidor —quando você digita www.guardo.com.br em seu navegador, ele na verdade vai procurar o endereço 200.228.1.47, relacionado a esse "nome fantasia".

A partir deste momento, sua câmera já estará online e pode ser acessada pela Internet.

A maioria das câmeras já disponibilizam as imagens via navegador de Internet. Ao ser acessada por seu endereço IP, a câmera gera um código HTML com as imagens e as envia para o seu browser. Em alguns casos é necessário instalar um software para conseguir acessar a câmera via Internet.

Também é possível definir quem pode acessar as imagens da câmera. A configuração é feita por um programa que acompanha o equipamento e permite decidir se o sinal será aberto para todos que acessarem o endereço IP dessa máquina.

Há alguns tipos de acessos que você pode dar a cada usuário. "Você pode simplesmente negar o acesso, permitir que visitantes apenas vejam as imagens, ou deixar que o usuário opere algumas funções da câmera —aumentar o zoom, alterar a posição, tirar 'fotos' e salvá-las, ou ainda autorizar que ele habilite recursos de segurança, como o sensor de presença, por exemplo".